Gestão ambiental e a crise econômica

Gestão ambiental e a crise econômica – como efeito colateral da paralisação no Brasil por conta do Covid-19, grandes centros reduzem significativamente a poluição e emissão de poluentes. Teremos um aumento de poluição no segundo semestre de 2020?

Gestão ambiental e a crise econômica – Na última semana de março 2020, pesquisadores de diferentes partes do globo indicaram redução no número de poluentes em grandes centros. Nova York, por exemplo, a Universidade de Columbia indicou a redução de 50% dos níveis de poluentes da cidade. Já em Pequim, capital chinesa, o instituto Carbon Brief estimou redução de 25%. O Reino Unido também divulgará seus resultados no começo de abril, porém já foi constatado pelas autoridades governamentais uso bem inferior de carvão como matriz energética, o que resultará em declínio do índice de poluição.

Já no Brasil, quem vive em grandes centros consegue notar a olho nu a diminuição da poluição. No início do inverno, época mais seca do ano, é comum notar em São Paulo uma película de poluição ao olha no horizonte, algo que este ano não é observado.

Gestão ambiental – O grande desafio:

Passando a pandemia e as cidades voltando à normal circulação, existe grandes chances de empresários e governadores estimularem ainda mais a aceleração da atividade econômica, tudo isso para correr atrás do prejuízo. Este será o grande desafio para a gestão ambiental: fechar os olhos para as ações mais poluentes e reduzir esforços ambientais em prol da recuperação da economia. Resultado deste impasse vamos conferir apenas em 2021.

Quer saber mais sobre assuntos relacionados à segurança e meio ambiente? Acompanhe nosso blog Soul News e fique por dentro! Ou então, acesse nosso Facebook ou nosso Instagram.

Deixe uma resposta